Goiânia, 22/06/2024
Voz de Goiás
·
Contato: vozgoias@gmail.com
Matérias


Presidente do Imas é chamado à Câmara para prestar esclarecimentos sobre crise financeira

11/02/24

A vereadora Kátia Maria (PT), que lidera a Comissão de Saúde na Câmara de Goiânia, convocou presidente do Instituto Municipal de Assistência à Saúde e Social dos Servidores Municipais de Goiânia (Imas), Marcelo Marques Teixeira, para prestar esclarecimentos diante da crise que a instituição enfrenta. A audiência com o presidente do Imas está agendada para o dia 20 de fevereiro de 2024, às 8h, na Sala da Presidência da Câmara Municipal de Goiânia.

A convocação foi motivada por uma análise realizada pela Universidade Federal de Goiás (UFG), que revelou dificuldades enfrentadas pelos usuários no atendimento, como problemas no agendamento de consultas, exames e cirurgias, além do alto endividamento do órgão. A vereadora enfatizou que os usuários pagam mensalmente pelo plano de saúde por meio de desconto em seus contracheques, o que lhes confere o direito de serem atendidos quando acionam o plano.

Procurado pela Jornal Opção, o Imas afirmou que "apresentará medidas a serem tomadas a curto, médio e longo prazo" para resolver a crise. Quanto à presença de Marcelo Marques na audiência, a assessoria de imprensa ainda não confirmou.

Kátia Maria lembra que a Câmara já realizou uma audiência pública para discutir a situação do Imas, mas nenhum diretor compareceu na ocasião. "Infelizmente, o presidente não veio e não mandou nenhum representante", ressaltou a vereadora, destacando a gravidade crescente da crise. "Tivemos que intervir junto à Comissão de Saúde para retomar o serviço oncológico, porque saúde é uma questão séria", acrescentou.

Além da má prestação de serviços, o relatório da UFG aponta que o Imas tem enfrentado atrasos nos pagamentos, incluindo médicos, clínicas, hospitais e laboratórios. "Não podemos permitir que o Imas siga o mesmo caminho do Ipasgo, que foi privatizado, e agora estão aumentando a alíquota, descontando dos servidores e criando padrões de plano de saúde, como se fosse uma empresa privada. O Imas não é uma empresa privada; é uma instituição para atender à função social dos servidores que prestam serviços para o Estado, inclusive aos órgãos municipais, como é o caso da Câmara", ressaltou a vereadora.


·

2024. Voz de Goiás. Direitos reservados.